Notice (8): Undefined index: HTTP_ACCEPT_LANGUAGE [APP/Config/bootstrap.php, line 46]
Warning (2): Cannot modify header information - headers already sent by (output started at /home/nutri430/public_html/lib/Cake/Utility/Debugger.php:795) [CORE/Cake/Network/CakeResponse.php, line 459]
Novidades na categoria Dicas | Nutriplan - Cultivando a vida - Jardinagem em geral e decoração
Nutriplan - Cultivando a vida - Jardinagem em geral e decoração

Novidades na categoria Dicas

Árvores frutíferas em vasos

por Nutriplanna categoria Dicas
Árvores frutíferas em vasos

Muito se engana quem pensa que é preciso um quintal imenso para ter árvores frutíferas: até quem mora em apartamento e tem uma pequena varanda pode ter o prazer de colher sua fruta preferida diretamente do pé. Para ter seu próprio pomar tudo o que você precisa é de uma pequena área aberta ensolarada. Para fazer o plantio em vasos, escolha espécies de porte baixo ou médio para facilitar a poda e deixá-la do tamanho que você quiser. Use argila expandida para fazer a drenagem do vaso, colocando uma camada em seu fundo. Essa camada é importante para impermeabilizar o recipiente, evitando também que a planta encoste no vaso. Coloque uma manta bedin de cobertura e uma camada de substrato enriquecido de matéria orgânica. Ele pode ser acrescido esterco ou composto orgânico. É importante que essa cobertura tenha bastante capacidade de reter nutrientes e também a umidade para que a raiz se desenvolva de forma plena e saudável. Agora é a hora de colocar a terra e ver a altura ideal da muda, que deve ser centralizada e cujo topo deve ficar cerca de 3 cm da borda do vaso. Vá completando o espaço vazio com terra, apertando um pouco para que a superfície fique uniforme. Faça então a primeira rega.

      Como todo ser vivo, sua frutífera também vai precisar de carinho e cuidados para que esteja sempre saudável, bonita e saborosa, por isso entre 30 e 40 dias após o plantio faça uma adubação de cobertura. Você pode usar um adubo de liberação lenta de 3 a 4 meses, como o adubo NPK 10-10-10. Repita essa adubação a cada três ou quatro meses, acrescentando também húmus de minhoca e terra vegetal. Lembrando que é importante seguir sempre as quantidades indicadas nas embalagens dos fornecedores, pois o excesso ou falta pode prejudicar sua planta.

      Não deixe também de regar sua frutífera três vezes por semana, mas cuidado para que não fique encharcada. Procure colocá-las em um lugar definitivo, com bastante incidência de luz solar direta por pelo menos 4 horas ou iluminação indireta o dia todo – e evite mudá-las de lugar. A cada três ou quatro anos retire-a do vaso, faça uma poda nas raízes que estiverem enoveladas e coloque nova mistura de plantio completando o substrato do fundo do vaso. Desta forma você terá sempre o privilégio de ter suas frutas prediletas diretamente do pé enfeitando ainda mais a sua casa.

Cuidados com as plantas durante o inverno

por Nutriplanna categoria Dicas
Cuidados com as plantas durante o inverno

Acreditamos que todo o jardineiro experiente saiba a época em que deve fazer as suas tarefas no jardim. Conhece as plantas e respeita seus ciclos de floração, crescimento, frutificação, dormência e aprecia cada etapa da vida delas. Mas para quem se inicia na arte da jardinagem por vezes poderá parecer confuso, saber a hora de podar, adubar, trocar de vaso. E com a chegada do frio é necessário uma atenção ainda maior pois não e por causa do clima gelado que o seu cantinho verde precisa ficar opaco e sem vida. Confira as dicas a seguir para que as espécies atravessem a estação com vitalidade e cheguem exuberantes à primavera.

Molhe pouco: Quando o tempo está úmido, há a tendência de as folhagens armazenarem mais água. Se forem muito regadas nesse período podem ficar sobrecarregadas e murcharem.

Adube a terra: Um dos principais cuidados com as plantas é garantir que o solo seja rico em nutrientes. Uma boa dica para manter as flores mais resistentes é alternar os tipos de adubos e fertilizantes para que elas recebam espécies variadas de nutrientes.

Sem poda: As plantas têm mais dificuldade de crescer no frio, por isso recomenda-se apenas a eliminação de folhas velhas, que dificultam ainda mais o crescimento da planta. Deixe para cortar os galhos secos somente na primavera.

Iluminação e ventilação: Para que a planta se desenvolva é essencial que o local seja arejado e que receba luz do sol. Mesmo as plantas de apartamento devem receber iluminação e ventilação diretamente nas folhas para não murcharem.

 

http://www.bolsademulher.com/lar/720/como-cuidar-das-plantas-no-inverno

Orquídeas: 10 erros que você comete com as suas!

por Nutriplanna categoria Dicas
Orquídeas: 10 erros que você comete com as suas!

Cultivá-las em vasos de plástico. Prefira os vasos de fibra de coco ou barro, que são porosos e drenam melhor a água. Isso evita o apodrecimento das raízes.

Permitir que elas extrapolem o limite do vaso. O ideal é mantê-las dois dedos para dentro da superfície.
Trocá-las de vaso sem reparar de que lado surgem os novos brotos. Chamados de “parte da frente” da orquídea, os brotos devem ficar livres, nunca encostados na parede.

Esquecer de acrescentar nó de pinho ou placas de madeira à planta. Além de decorar o vaso, os substratos conservam a água por mais tempo.

Não esterilizar a tesoura antes de podá-las. Para essa operação, utilize um maçarico portátil ou a própria chama do fogão. Mas atenção: espere o instrumento esfriar antes de usá-lo. Esterilize novamente antes de manipular outra planta, para evitar transmissão de doenças.

Não passar um cicatrizante após a poda. Neste caso, utilize canela em pó que é um cicatrizante natural.
Ignorar as manchas na folhagem. Elas podem indicar que a planta tenha sido atacada por uma praga. A dica é usar detergente líquido diluído em água. Lave bem todas as folhas e raízes e borrife a concentração nas folhas. Se a infestação for grande, passe o sabão puro, sem diluir. Depois, deixe a orquídea por 24 horas na sombra, lave e replante.

Usar o mesmo vaso depois de eliminar pragas. O ideal é trocar o recipiente por um novo. Caso não seja possível, lave-o bem com cloro e finalize com detergente neutro, enxaguando antes de replantar sua orquídea.
Não reparar na coloração da folhagem. Se estiver muito escura, é sinal de carência de luz. Nesse caso, troque a orquídea de lugar.

Não identificar as orquídeas com plaquinhas. Além do nome da espécie, anote o período de sua última floração.


 

Fonte: www.revistacasaejardim.globo.com


 

Planta auxilia no combate ao mosquito da dengue

por Nutriplanna categoria Dicas
Planta auxilia no combate ao mosquito da dengue

A crotalária, segundo alguns estudos ainda não comprovados, atraem as libélulas, insetos alados que se reproduzem em ambientes com água parada e limpa, assim como faz o mosquito da dengue. A libélula é um predador voraz desde seu nascimento. Quando está no estado de larva, se alimenta da larva de outros insetos. Após um longo período na água, sofre uma metamorfose, ganha asas e torna-se adulto, em que é capaz de comer 14% do seu peso se alimentando apenas de insetos voadores.

A Crotalária dá uma flor amarela e cresce pouco, no máximo 60 centímetros á 1 metro de altura podendo ser plantada inclusive em condomínios e em vasos plásticos Nutriplan. Floresce se bem cuidada, em até 90 dias.

Sobre como cultivarmos a Crotalária, ela prefere solo fértil е locais frescos, requer оѕ cuidados básicos quе geralmente tеmоѕ соm аѕ outras plantas dе nоѕѕо quintal оu jardim. Pоr ѕеr umа planta соm alta toxidade é aconselhável ter um cuidado especial соm animais domésticos, pois caso o bicho ingira as sementes ou a flor, pode ter complicações no fígado. O ideal é manter os animais longe da planta. Ela ѕе adapta bem à seca е ао clima quente, mas nãо suporta о frio constante, quе pode prejudicar as plantas pequenas.

A Crotalária pode ser encontrada em lojas de sementes e adubos ou artigos gerais de agronegócio. Porém mesmo surgindo outras maneiras de combater mosquito, o ideal ainda é a prevenção, e manter o quintal limpo ainda vem sendo o melhor remédio.

Então cuide de seu jardim de Crotalárias, ela combate o mosquito da dengue e pode proteger sua família.

Fonte www.crotalaria.com.br/asemente

Tipos de grama: Quando e como usar

por Nutriplanna categoria Dicas
Tipos de grama: Quando e como usar

1. Grama-amendoim

Uso: Ótima para canteiros e áreas de pouca passagem. Também é muito utilizada como pastagem nutritiva.

Vantagem: Apresenta pequenas inflorescências amarelas, que se formam na primavera e no verão. 

Características: Sua folhagem tem crescimento rápido e forma um denso colchão verde que dispensa podas periódicas. Tolera secas e encharcamentos, mas não resiste a geadas e pisoteio.

Exige: Pleno sol ou meiasombra.

2. Grama-santo-agostinho

Uso: Ideal para regiões litorâneas, pois tolera bem a salinidade do solo.

Vantagem: Rústica, é resistente ao frio e à sombra.

Características: Suas folhas verdes e levemente azuladas são lisas, sem pelos
e com as pontas arredondadas. Elas apresentam largura e comprimento médios.

Exige: Pleno sol ou meiasombra.

3. Grama-esmeralda

Uso: Macia e resistente ao pisoteio, é sugerida para áreas residenciais e playgrounds.

Vantagem: É o exemplar mais comercializado no Brasil.

Características: Apresenta folhas médias e estreitas, na cor que a nomeia;
enraíza com facilidade, por isso é excelente para controle de erosão. Tem boa resistência
a aridez e a solos alcalinos e ácidos.

Exige: Prefere pleno sol.

4. Grama-preta

Uso: Ornamental, é uma boa escolha para criar bordaduras e canteiros. Ótima para áreas sombreadas.

Vantagem: Cresce rapidamente, não requer poda e se dá bem em quase qualquer tipo de solo.

Características: Ao contrário do que parece, não é uma gramínea, mas é uma excelente forração. Não apresenta caule e tem folhas finas e escuras. Tolera o calor e a seca prolongada.

Exige: Meia-sombra ou pleno sol.

5. Grama-são-carlos

Uso: Forma gramados densos, o que faz dela uma ótima opção para áreas grandiosas, como casas de campo.

Vantagem: É resistente a pragas e ervas daninhas, solos encharcados e ao pisoteio.

Características: Tem folhas largas e lisas, sem pelos, de cor verde intensa e
com crescimento lento.

Exige: Pleno sol ou meia sombra.

3 dicas fundamentais sobre grama

PLANTIO: As melhores épocas para plantio são a primavera e o verão, quando aumenta o índice de chuvas. Mas, antes, cuide do solo. Faça uma limpeza para retirar ervas daninhas e atente para a nivelação do terreno.

REGAS: Nas duas primeiras semanas após o plantio, regue o gramado diariamente, sempre ao final do dia, para que as folhas não sejam queimadas pelo sol. Depois, a quantidade de rega deve variar de acordo com o clima e a insolação do local escolhido.

PODAS: Para garantir a saúde do gramado, mantenha altura de 5 a 10 centímetros. Mas cuidado: cortes muito frequentes tendem a esgotar as reservas nutritivas da grama, deixando-a fraca, suscetível ao ataque de pragas e doenças. Depois da poda, varra a grama com uma vassoura metálica para retirar folhas secas e arejar o solo.

 

Fonte: http://revistacasaejardim.globo.com/

Plantas que ficam em ambientes internos merecem cuidados

por Nutriplanna categoria Dicas
Plantas que ficam em ambientes internos merecem cuidados

Mesmo em um pequeno ambiente ou em algum cantinho, é possível de maneira simples o cultivo de plantas. Tudo o que precisa ser feito é escolher as mais adequadas e que se adaptem melhor às condições que o local tem a oferecer.

As plantas que ficam em ambientes interiores precisam de mais cuidados do que aquelas que ficam ao ar livre. Isso porque há problemas como a luminosidade, que se torna reduzida, o baixo nível de umidade, e o pequeno espaço para suas raízes, já que ficarão em vasos.

Para escolher a planta que melhor se encaixa no ambiente, é necessário um estudo do local para saber se o mesmo é adequado e suportará o crescimento da espécie e também, para saber, se a luminosidade que chega ao local é a necessária para a planta desenvolver.

Os demais cuidados, como irrigação, variam de espécie a espécie, lembrando que não deve ser mais espaçada do que o necessário e, também, não ser em abundância para que não aconteça o apodrecimento das raízes. Outra dica importante é colocar argila ou cacos de cerâmica no fundo dos vasos para que ocorra o acumulo de água.

As plantas que se adaptam melhor a locais fechados são: Afelandra, Agapanto, Ajuga, Alocásia ou Punhal-malaio, Arália, Aspargo-samambaia, Avenca, Azulzinha ou Evólvulo, Begônia, Cordiline ou Dracena vermelha, Crossandra, Érica ou Falsa-érica, Filodendro, Flor-de-maio e Rosa-do-deserto ou Adenium.

Fonte: Revista do ZAP.